Páginas

31 de ago de 2009

desapercebido

Acho que passou desapercebido pra maioria das pessoas o acordo entre o Brasil e o Vaticano (em minha opinião ABSURDO) aprovado pela Câmara dos Deputados na semana passada.

Lula e o Papa Nazista (oops, foi mal, Bento XVI) apóiam o acordo, que abre as portas pra instituir o ensino religioso opcional nas escolas e vinha sendo negociado desde 2006. Ah, sim, o acordo também ratifica a isenção fiscal e de leis trabalhistas para a igreja e prevê a manutenção do patrimônio cultural católico com recursos do Estado.

Sem discussões sobre direito internacional e os trâmites necessários pra que um acordo dessa natureza seja incorporado ao nosso direito interno e outros blábláblás de gente chata que estuda estas coisas (tipo eu)... mas que palhaçada é essa?!?!!

Tudo bem que no preâmbulo da nossa constituição está escrito que "promulgamos, sob a proteção de Deus...", mas em nenhum lugar está escrito que temos religião oficial de Estado (por sinal, somos um Estado Laico). E ali no artigo 5º da nossa querida constituição diz que todos são iguais perante as leis e esse blábláblá que sabemos que só funciona no papel.

O que me incomoda é o seguinte:

1- cada um escolhe sua religião (deve ser bem legal pra um espírita ter aula na escola sobre catolicismo, por exemplo).
2- manutenção do patrimônio cultural católico com recursos do Estado?!? Ok, mas então mantenham também os terreiros de candomblé, as mesquitas, os centros espíritas, os templos budistas e de todas as demais religiões. Não são todos iguais perante as leis?!? Por que a religião católica deve ser privilegiada em detrimento das outras?!?
3- para terminar, já que vivemos num país onde tudo funciona perfeitamente bem, e todos estão bem de vida, com educação de qualidade, rede pública de saúde perfeita, pouca violência, etc, faz mesmo muito sentido gastar dinheiro do Estado para manter patrimônio de qualquer igreja, seja ela qual for.

Olha, foi mal se algum católico se sentir ofendido com este post, mas tudo neste mundo tem limite. Para mim um acordo dessa natureza ultrapassa qualquer limite de bom senso (coisa que obviamente nosso presidente não tem, e pelo jeito o pessoal do Itamaraty também não).

________________________________________________

*agora que o amiguinho me lembrou nos coments, fui procurar o texto dele sobre isso. Um mês e pouco depois do que ele escreveu, taí a cagada feita. Leiam AQUI