Páginas

23 de mar de 2010

minha próxima encarnação

Na próxima encarnação eu serei...

Uma mulherzinha retardada que acredita em príncipe encantado e todas estas babozeiras de perfeições inatingíveis que os contos de fada colocam nas cabecinhas por aí... E me decepcionarei ao encontrar pessoas reais cheias de defeitos como eu...

Uma mulherzinha que passa meses enrolando o cara pra ter a primeira transa e depois ainda fica cheia de ‘não-me-toques’... A típica ‘mulher-pra-casar’ que eles deixam em casa e saem pra se divertir com as outras...

Uma mulherzinha com jeito de santinha, perfeita pra apresentar pra mãe, mas que trai seu parceiro escondido... Aquela que trata bem todos os amigos, concorda com tudo que ele diz, não reclama das coisas que incomodam... mas tem um amante para satisfazê-la ou só trai mesmo, sem dor na consciência...

Uma mulherzinha que se importa mais com a aparência do que com o cérebro... Passa o dia na academia, salão de beleza, clínica de estética... E não sabe discutir nada além do que passa na novela da Globo ou no BBB...

Uma mulherzinha que gosta de ter DRs com namorados, amigos, irmãos, pais... E que quando não tem motivo pra DR, inventa um motivo inexistente já que não vive bem sem ter problemas...

Uma mulherzinha que não bebe, não fuma, não sai... e reclama quando o cara quer fazer alguma destas coisas...

Uma mulherzinha que fica deprimida em casa se achando um lixo porque o cara não ligou no dia seguinte... daquelas bem inseguras que não confiam no próprio taco e podem ser a Angelina Jolie com o Brad Pitt ao lado, mas estão sempre infelizes...

Uma mulherzinha que não fala o que pensa, nem demonstra o que é ou sente, pra não desagradar ninguém... Afinal, é melhor fingir ser o que não sou do que correr o risco de não ser aceita pelo que sou...

Uma mulherzinha invejosa que não agüenta ver a felicidade alheia... daquelas que é só ver alguma amiga feliz que vai logo se metendo, dando conselhos errados, inventando historinhas...

Uma mulherzinha que prefere ser sustentada pela mãe, pai, marido... que acha o máximo não fazer nada e ter tudo e ainda critica os outros achando que o certo é ser uma parasita...

Uma mulherzinha que tem como finalidade última de vida casar, ter filhos e constituir família, aceitando o que vier pra realizar este sonho de ser mãe-esposa-donadecasa... Fechando os olhos pra traições, maus-tratos e desrespeitos em troca de segurança...

Uma árdua defensora da moral e dos bons costumes, daquelas bem hipócritas... perpetuando o machismo, criticando e apedrejando as mulheres independentes do mundo que trabalham, estudam e vivem como querem sem se importar com a opinião alheia...

...

NOT.

NOT. NOT. NOT. NOT. NOT. NOT. NOT. NOT.

13 de mar de 2010

fire and ice

FIRE AND ICE

Some say the world will end in fire,
Some say in ice.
From what I've tasted of desire
I hold with those who favor fire.
But if it had to perish twice,
I think I know enough of hate
To say that for destruction ice
Is also great
And would suffice.

Robert Frost

12 de mar de 2010

um brinde!

"É necessário estar sempre bêbado.
Tudo se reduz a isso; eis o único problema.
Para não sentirdes o horrível fardo do Tempo, que vos abate e vos faz pender para a terra, é preciso que vos embriagueis sem cessar.
Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, a vossa escolha.
Contanto que vos embriagueis.
E, se algumas vezes, nos degraus de um palácio, na verde relva de um fosso, na desolada solidão do vosso quarto, despertardes, com a embriaguez já atenuada ou desaparecida, perguntai ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, perguntai-lhes que horas são; e o vento, e a vaga, e a estrela, e o pássaro, e o relógio, hão de vos responder: É hora de se embriagar!
Para não serdes os martirizados escravos do Tempo, embriagai-vos; embriagai-vos sem tréguas!
De vinho, de poesia ou de virtude, a vossa escolha."

Baudelaire

10 de mar de 2010

o ovo da serpente

“O fascismo começa caçando tarados”. Não conhecia a frase, mas a li hoje em um blog. Seu autor é Bertolucci (cineasta italiano). Gostaria de ter sido eu o autor pois explica muito em poucas palavras. Ideologias autoritárias sempre se disfarçam. E seu alvo predileto é o senso de justiça que habita em cada ser humano. Igualdade, fraternidade e liberdade são conceitos que todos compreendem, mas que podem ser manipulados. E são. E o mundo hoje parece um lugar apropriado para isso, como foi no início do século XX. Então pela crença no poder das revoluções, hoje por que andamos esquecidos.

Um bom exemplo é o anti-americanismo gratuito que campeia atualmente. Os EUA representam um conjunto de valores e a história do Brasil é recheada de sentimentos contraditórios em relação a este país. Mas é preciso ter sempre em mente quais valores eles representam, e o que é que se está criticando. Quando as pessoas acusam a cultura americana de manipular a idéia da liberdade, criando um povo um pouco, assim, como direi, alienado, é porque já não se lembram contra o que esta mesma sociedade lutou e que patrimonio nos legou. Seu próprio sucesso em servir de exemplo para todas as sociedades ocidentais fez com que esquecêssemos o motivo pela qual a democracia foi criada. Se hoje por todo lado o autoritarismo mostra a sua cara, é porque as novas gerações já não conhecem seus perigos. Nunca lutaram para criar este modelo, imperfeito, mas que razoavelmente protege o mais fraco, impede que a vontade da maioria esmague a minoria e que submete todos ao mesmo código de leis. Como não conhecem o mundo não democrático, como não lutaram para criar este sistema frágil e delicado, mas que é base de avanço civilizatório, muitos hoje desconhecem sua estrutura e chutam com gosto alguns de seus pilares.

Estou lendo um livro sobre Mao (escrito por Jon Haliday) e confesso que já pensei em parar várias vezes. Não porque seja ruim, nada disso. Pensei em parar pois é triste, muito triste ver o momento em que uma sociedade perde a guerra pelo futuro e é seduzida por caminhos sangrentos. O livro escorre sangue, pois Mao é um sádico criminoso, e qualquer socialista que resolva sair da teoria, seja no século XX ou no XXI, é um assassino em potencial. Cuidado agora, pois explico-me: da mesma forma como habitam no ser humano os conceitos nobres aos quais me referi no início do texto, também habitam a ambição, a inveja, a vingança e outros. Qualquer reunião de pessoas para discutir a abolição do sistema, a subverção da sociedade, vai, invariavelmente, unir dois tipos de pessoas, as que se guiam pelos primeiros valores e as que se guiam pelos últimos. E ainda mais, muitas vão pensar que são do primeiro grupo mas no meio do caminho vão perceber que a igualdade não é tão bacana assim quanto se dar bem. É assim a vida. E quando o sistema começa efetivamente a ser solapado, como na China, os bonzinhos sempre ficam chocados com a violência e com o ovo de serpente que chocaram. Acabam invariavelmente mortos e legam o futuro à um bando de assassinos do pior tipo: os manipuladores.

Isso me lembrou meus tempos de adolescente, participando do grupo de jovens do colégio. Fiquei impressionado quando me disseram que o diabo não vem com cara de diabo, pois seria fácil reconhecê-lo. Vem em forma de sorvete, de criança, de coisas boas e sedutoras. Deste então desconfio. De tudo. Com isso não digo que existe um ente por trás de todo o mal da humanidade. Quero com isso dizer apenas que o mal não seduz apenas os maus. O mal seduz quem falha em perceber o mal. Quero dizer que o ser humano carrega em si a capacidade de criar e de destruir e que as escolhas nem sempre são óbvias.

É por isso que a frase de Bertolucci é tão apropriada. O autoritarismo, seja fascista, socialista, militar, qualquer que seja seu disfarce, sempre nasce de grandes ideais, sempre nasce inspirador, prometendo um mundo melhor. Por isso deixo um conselho de graça: desconfie de boas intenções, desconfie de grandes mudanças, desconfie de OUTROS MUNDOS POSSÍVEIS! Os outros mundos possíveis que a humanidade conheceu são bem piores que esse. Lembre-se do ovo da serpente. Olhe sempre para os pequenos detalhes, pois a serpente não consegue esconder o rabo.




*texto retirado DAQUI. Por sinal, este blog vale muito a leitura.


*sobre totalitarismo