Páginas

16 de mai de 2010

Hobbes no século XXI

O ser humano continua me surpreendendo negativamente falando... Impressionante isso. Somos a espécie mais irracional que habita este planeta. Na verdade, somos um vírus bem burro, daqueles que mata seu hospedeiro (o que estamos fazendo com a Terra não é matar nosso hospedeiro?).

Divagações viróticas a parte, voltemos à irracionalidade. No fim de semana que passou aconteceu por aqui um fato lamentável que me lembrou o estado de natureza segundo Hobbes. Resumidamente, pra ele a situação dos homens deixados a si próprios é de anarquia, geradora de insegurança, angústia e medo. Os interesses egoístas predominam e o homem se torna o lobo do próprio homem (“homo homini lúpus”). As disputas geram a guerra de todos contra todos (“bellum omnium contra omnes”) e as conseqüências desse estado de coisas é o prejuízo para a indústria, a navegação, a ciência e o conforto dos homens.

Concordando com Hobbes ou preferindo as análises do homem em estado de natureza feitas por Locke ou Rousseau, o fato é que estes filósofos preocupam-se com a origem do Estado, com a validade da ordem social e política, a base legal. Em algum momento, o homem abandona o estado de natureza para se submeter ao Estado instituído por um pacto, um contrato.

E daí? E daí que seja lá qual for a análise correta de porque os homens aderem a um contrato social, ainda existem, em pleno século XXI, seres humanos que vivem no estado de natureza de Hobbes. Se acham acima das leis, não respeitam nenhuma ordem social e política, tratam seus semelhantes como um simples nada, como uma merda qualquer.

Na última madrugada de sexta pra sábado, ocorreu aqui no meu bairro, não muito longe de casa, um fato lastimável. Uma reclamação de barulho excessivo e fora do horário terminou em espancamento. Resumo: um senhor de 46 anos foi até o posto de gasolina que fica em frente ao seu prédio, por volta das 3 da manhã, para reclamar com o gerente do estabelecimento. Apesar de estar apenas exigindo seu direito de dormir, foi agredido pelo gerente e por outras cinco pessoas que estavam com ele. Tentou fugir, mas os agressores o perseguiram até o seu prédio. De acordo com as câmeras de segurança, foi empurrado contra uma pilastra, teve a cabeça socada diversas vezes e foi arremessado contra a portaria de vidro.

O tal gerente do posto foi indiciado por dano ao bem público (o prédio é da aeronáutica) e por lesão corporal. Se condenado, pode pegar até 4 anos de prisão. Me pergunto: que país é este?!? Este país não é sério, definitivamente. Espancam alguém e podem pegar até 4 anos de prisão?!? Isso SE pegarem e SE ficarem os 4 anos presos né. Gente assim merece punições bem mais rigorosas... mas... esperar o que se por aqui até assassinos ficam menos de 10 anos presos?...

PARABÉNS BRASIL!!! (ironia mode ON)