Páginas

17 de abr de 2011

mulheres mortas

Li muitas análises por aí sobre o nosso ‘Columbine’ (a escola em Realengo, RJ) e discordo daquelas que colocaram este acontecimento como crime de ódio, feminicídio... pois mais meninas foram assassinadas. Pra mim a questão de um sociopata agindo loucamente atirando e matando quem encontrar pela frente vai bem além da questão de gênero, e não se resume à ela.

Também não sou uma dessas loucas esquizofrênicas que gostam de usar o machismo como desculpa pra tudo, ou de chamar qualquer coisa de preconceito de gênero... Mas não posso, de forma alguma, negar que vivemos em um mundo, em uma sociedade, machista.

Isso tudo para comentar algo que li em um jornal que detesto: a questão do assassinato de mulheres ter crescido 30% na última década, no Brasil. Em alguns locais o aumento foi maior: Alagoas 104%, Pará 256%... e por aí vai. Quem tiver interesse no assunto, acompanhe a série de reportagens que sai, a partir de hoje, no Correio Braziliense.

A série de reportagens começou AQUI.