Páginas

25 de nov de 2011

violência contra a mulher

Hoje começa o Combate Internacional à Violência contra a Mulher – trata-se de 16 dias de ativismo, que terminam em 10 de dezembro, quando é comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Nunca é excessivo repetir: não existe crime passional. Não existe isso de que foi só uma briguinha de casal na qual o homem se exaltou. Não existe o argumento de que mulher safada merece apanhar. O que existe são pessoas cuja ética – se é que há ética – é dissolvida no machismo velado da nossa sociedade patriarcal. O machismo mata, enquanto a ignorância esconde os corpos.



Dez brasileiras são mortas, por dia, pelo companheiro ou ex. A cada 2 minutos, 5 mulheres são espancadas no Brasil. E tem gente, aos montes, que acha que esse é um problema menor do que a pobreza ou a fome. O machismo mata, e muito, e diariamente... e impunemente. A vítima tem gênero.

Enquanto ainda houver gente que finge que não sabe e não enxerga, a situação continuará do jeito que está. Para que a violência contra a mulher possa ser combatida, não é só o homem, a mulher ou o judiciário que precisa mudar: são todos! A violência doméstica é um reflexo de uma sociedade, no mínimo, doente.

Gostaria muitíssimo que os defensores da moral e dos bons costumes... sim, aquele pessoal que se diz defensor da família e faz marchas, que vive fiscalizando a sexualidade e a vida alheias, se dedicasse com o mesmo afinco a combater a violência doméstica.

Violência doméstica deve ser combatida e denunciada. DENUNCIE PELO 180.