Páginas

28 de dez de 2012

vale-cultura?


A presidente Dilma sancionou ontem o projeto de lei que cria o vale-cultura. A nova lei concede R$ 50 por mês a trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos. O dinheiro poderá ser gasto na compra de ingressos para shows e espetáculos e também na aquisição de produtos como livros e DVDs. Há outros detalhes, mas o governo federal vai desembolsar cerca de R$ 500 milhões em 2013 em incentivos (leia mais AQUI).

Sinceramente? É RIR para não chorar. Edição remodelada do velho pão e circo, é isso mesmo? Minha humilde e modesta opinião é que a melhor forma de incentivar a cultura baseia-se em maior investimento em educação de qualidade para que as pessoas adquiram o hábito de consumir teatro, música, cinema, dança e literatura... e, também, em oportunidades para que se produza cultura de qualidade (o que no fim das contas também é investir em educação de qualidade, voltada para a formação de atores, diretores, bailarinos, músicos, produtores, escritores... e que eles tenham condições de produzir cultura e viver disso). Porém, isso tudo é investimento a médio e longo prazo e estamos cansados de saber que nossos governos desconhecem o que signifiquem as palavras médio e longo (exceto quando dizem respeito a ganhos pessoais e/ou partidários).

Por que não usar estes 500 milhões para educação focada em cultura? Aulas de teatro? Aulas de dança? Aulas de música? Investir em acabar com o analfabetismo funcional da nossa população para que possam ler e entender o que estão lendo? Reforma de teatros? Patrocínio de companhias de dança ou teatro? Ingressos grátis para alunos de escolas públicas irem ao teatro? Renovar acervos de bibliotecas públicas? Não, não... nada disso gera votos no curto prazo e nem tira as pessoas da ignorância. É mais fácil dar um trocado para irem em um show de axé ou comprarem dois livros de auto-ajuda por mês ou gastarem com cds de funk.

MEDO desse país petista populista viu... MUITO MEDO.