Páginas

2 de jan de 2013

obesidade é feio, sim

Há alguns dias, quando postei essa notícia no meu Facebook, houve quem me chamasse de preconceituosa. Eu disse, clara e abertamente: me desculpem, mas isso me provoca vontade de ir para a academia malhar e não consigo achar isso bonito. A única pessoa que teve coragem de falar algo abertamente disse, apenas: “Como uma vez li: "Desculpe, você apenas está ferindo meu senso estético....". O resto, como de praxe, despejou seu mimimi por mensagem privada ou por meio de indiretas.






Afirmo novamente: ao avistar mulheres obesas tenho vontade de correr para a academia. Sim, tenho. Para mim, não há nada bonito em obesidade. Tenho pavor de me tornar uma pessoa obesa. Não preciso ser politicamente correta e bater palmas para obesidade mórbida, muito menos ter o discurso de que todos os corpos são belos. Esse tipo de obesidade é tão grotesco quanto anorexia – são dois extremos tensos, feios, nocivos à saúde.






Se a tal notícia fosse Fotógrafo registra mulheres anoréxicas em poses artísticas e provocantes, eu acharia igualmente tosco – só que ao invés de ter vontade de correr para a academia, provavelmente eu teria vontade de comer uma pizza. Anoréxicos e obesos mórbidos são pessoas doentes e fim de papo. E, esteticamente falando, são duas coisas bem feias.

Há uma imensa diferença entre uma pessoa magra saudável e uma pessoa anoréxica. Assim como também há um abismo imenso entre uma pessoa gorda e uma pessoa obesa. O que eu acho mais bonito, na foto abaixo, depende, entre outros fatores, da cultura na qual fui criada e estou inserida. Já achar bonitas condições físicas que demonstram problemas de saúde graves, como obesidade mórbida e anorexia, é muita forçação de discursinho politicamente correto.