Páginas

24 de abr de 2013

manual de sexo


@claraaverbuck  GENTE, TIVE UMA IDÉIA: quem sabe vocês não param pra sempre de escrever guias de como homens/mulheres devem se portar no sexo?


Antes da manifestação acima no twitter, eu nunca havia parado para pensar nisso. Qualquer busca rápida no Google com a expressão "manual de sexo" acha milhões de resultados, desde manuais explicando como fazer sexo oral até manuais de sexo para judeus ultra ortodoxos (??!!!?!).

Eu? Só me dou ao trabalho de ler estas coisas se for para rir – de quem as escreveu e de quem acredita nelas. Motivo simples: sexo não tem manual, fim. Cada pessoa gosta de uma coisa diferente e reage de forma diferente a estímulos iguais. A mesma pessoa pode, inclusive, gostar de coisas diferentes dependendo de quem seja(m) a(s) outra(s) pessoas envolvidas na transa.

Eu mesma não sei até hoje o que funciona para mim. Se eu tivesse que descrever a alguém o que, exatamente, funciona para mim... eu simplesmente não saberia. Sei, apenas, o que funciona ali, naquele determinado momento, com aquela(s) pessoa(s). Sexo é também sensibilidade, é momento... E é, antes de qualquer outra coisa, prestar atenção em si mesmo e no outro.

Para mim, sexo significa apenas isso: SEXO. Já significou loucura, fuga, dor, tentativa de suicídio e até amor. Feliz ou infelizmente, já faz algum tempo que o único significado dessa palavra é o do ato sexual. Gosto de sexo. Simples assim. Amor não é algo que acontece com freqüencia. Tesão, sim. Algumas pessoas satisfizeram apenas minha libido, outras foram além e conquistaram meus sentimentos. Todas elas são parte de quem eu sou.

Que tal largar a visão romântico-burguesa de que o certo é fazer amor e encarar o sexo apenas como sexo? Eu, pessoalmente, tenho pena de quem só faz amor e nunca trepa – é possível trepar quando se ama alguém, sabiam? É muito bom também, mesmo sem amor! Mas essa sou eu e, se nem para mim conseguiria escrever um manual de sexo, imagina para os outros! Como eu poderia escrever um manual de sexo se cada transa, com cada pessoa, é diferente? Se cada transa, com a mesma pessoa, é diferente?

Minha opinião é que as pessoas normatizam tudo demais, criam tabus demais, se preocupam demais... enquanto fazem e sentem de menos. Regras? Em sexo? Só deveria haver uma: façam o que tiverem vontade, consensualmente entre as partes, e fim. Para finalizar, penso que uns fazem... Enquanto outros, insatisfeitos, escrevem manuais e/ou vigiam a vida alheia.