Páginas

25 de set de 2013

ovelhas e lobos

(...)
Os estudantes se negaram a defender o projeto interdisciplinar sobre a ‘Preservação da Identidade Étnico-Cultural brasileira’ por entenderem que o trabalho faz apologia ao “satanismo e ao homossexualismo”, proposta que contraria as crenças deles.
Por conta própria e orientados pelos pastores e pais, eles fizeram um projeto sobre as missões evangélicas na África, o que não foi aceito pela escola. Por conta disso, os alunos acamparam na frente da escola, protestando contra o trabalho sobre cultura afro-brasileira, atitude que foi considerada um ato de intolerância étnica e religiosa. “Eles também se recusaram a ler obras como O Guarany, Macunaíma, Casa Grande Senzala, dizendo que os livros falavam sobre homossexualismo”, disse o professor Raimundo Cardoso.
Para os alunos, a questão deve ser encarada pelo lado religioso. “O que tem de errado no projeto são as outras religiões, principalmente o Candomblé e o Espiritismo, e o homossexualismo, que está nas obras literárias. Nós fizemos um projeto baseado na Bíblia”, alegou uma das alunas.
(...)

Os trechos acima são retirados DAQUI.

Primeiramente, digo que, se eu fosse diretora dessa escola ou professora desses adolescentes, eu simplesmente daria nota ZERO ao trabalho. Me poupem! Se negar a fazer um trabalho por que contraria suas crenças religiosas? Candomblé e Espiritismo fazem apologia ao satanismo? Gilberto Freyre e outros mestres, pelo visto, fazem uma apologia sinistra ao homossexualismo e devem comer criancinhas em cultos satânicos no inferno também.

Não sei porque ainda me choco com certas coisas, mas fato é que a ignorância das pessoas, ainda tão jovens, me choca. O preconceito de gente tão jovem ainda me choca. Certamente, por suas declarações esses jovens sequer sabem do que estão falando e nem a Bíblia leram direito. Intolerância étnica e religiosa? Até existe sim... mas ela parte dos pastores e dos pais destes jovens, que estão fazendo este ato criminoso de, por meio dessa lavagem cerebral, impedi-los de acesso ao conhecimento e à informação. Não sei os pais destes adolescentes, mas os pastores devem saber que informação é poder... ou não se esforçariam para privar seu rebanho de conhecimento, baseados em interpretações da Bíblia. Que dó destes jovens... que dó!

Já fiz muitos trabalhos escolares e acadêmicos sobre crenças que não acredito e ideologias com as quais não concordo (muitas vezes, sobre coisas que desprezo). Ao estudar e pesquisar um assunto, obtemos inclusive mais base para discordar, não crer, criticar, questionar. Continuo, até hoje, lendo autores, blogs, revistas, portais de notícias, etc, com os quais não concordo – até a Veja eu folheio e dou uma lida. Diria, inclusive: até este momento ainda não li um único livro ou artigo com o qual eu concorde ou discorde 100% - e me mato no dia que isto ocorrer, pois significaria que a capacidade crítica e de análise inexistem.

Religião? Já li a Bíblia, O Livro dos Espíritos e O Evangelho Segundo o Espiritismo inteiros... Já li trechos do Corão e da Torá. Há muita coisa bacana nestes livros e nada tenho contra eles – minha grande crítica é quanto ao uso que os seres humanos fazem deles. Como não sigo nenhuma destas religiões, para mim são apenas livros, material de estudo (sobretudo sócio-histórico). Não acredito em nenhum destes livros, mas nada tenho contra quem neles acredita. O problema é usá-los para espalhar ignorância, preconceito, intolerância... e, desta forma, manter o rebanho nas trevas, sem acesso ao conhecimento de tantos outros livros.

Se José de Alencar os adolescentes se recusam a ler por motivos esdrúxulos, oops, religiosos... que dirá Machado de Assis! Deles, os jovenzinhos, tenho pena. Estão se privando de conhecer jóias da literatura brasileira, de aprender sobre outras religiões, de aprender a história do seu país. São, de certa forma, como os pseudo-intelectuais que falam mal de Crepúsculo e nunca assistiram ao filme – pois é, até para falar mal de um filme (ou de uma música) é necessário conhecê-lo. Até para gostar de alguma coisa é necessário conhecê-la, se expor a ela.

Ao contrário destes jovens, quanto mais eu leio, quanto mais filmes assisto e quanto mais músicas ouço... mais me sinto burra. E sentir-se burra é um empurrão bem forte para continuar lendo, assistindo, ouvindo... Explorar ideologias, imagens e sons novos, distintos, é adquirir conhecimento, informação. “Informação é poder” – e os pastores que usam a Bíblia para manter seu rebanho longe do conhecimento sabem disso. Ovelhas ignorantes são mais maleáveis, mais manipuláveis, mais exploráveis – os lobos estão lá, cuidando delas.

Parafraseando um autor (que agora não me lembro quem é): o problema do mundo é que as pessoas ignorantes estão cheias de certeza e, as inteligentes, cheias de dúvidas.


Fica a dica: quer discordar de algo, chamar de satanista e o escambau? Leia e pesquise aquilo para poder discordar com embasamento, criticar direito, até por fogo se for o caso... mas fucking LEIA, pesquise e estude, antes de defecar pela boca.