Páginas

19 de out de 2013

carta aos beagles

Carta às pessoas que invadem laboratórios para libertar bichinhos fofinhos e aparecer bem na mídia – e também aos veganos que tentam me converter à sua religião:

Prezados,

Desculpem-me, mas a hipocrisia não me convém.

A marca de maquiagem que melhor se adapta à minha pele é a M.A.C. (uso sem dó, e é testada em animais... desculpem, sou um ser humano egoísta que pensa primeiro na própria pele, depois na dos bichinhos). Mesma coisa com os bloqueadores solares e cremes: sei que Neutrogena e La Roche testam em animas e continuarei usando estas marcas.

Confesso: sou um ser humano fútil. Gosto de maquiagem, ainda que pouca, só um batom mesmo para proteger os lábios da secura desértica da capital. Não posso dispensar proteção contra o sol ou contra o clima de deserto, entretanto. É a minha pele, muito branca, propensa a melanomas, manchas, envelhecimento precoce, desidratação, etc. Desculpa. Minha querida bepantol, salvadora da seca e das tatuagens, deve ser testada em animais. Talvez a tinta usada em alguma das minhas 11 tattoos possa ter sido testada em animais também. Uso sapatos, botas, cintos, bolsas e jaquetas de couro. Poderia dispensar estes itens, mas ainda não encontrei couro sintético tão bom quanto o verdadeiro.

Não gosto muito de carnes em geral, sejam elas brancas, vermelhas, gordas ou magras. Porém, como as poucas que gosto sempre que tenho vontade. Consumo derivados de leite, ovos, amo queijos. Meu organismo, para funcionar bem, estar saudável e forte, precisa de proteína de origem animal. Meus músculos, para sustentarem bem meu esqueleto e agüentarem bem minhas danças e lutas, precisam de proteína. 

Tenho certeza que já consumi medicamentos testados em animais. Provavelmente, até o fim da vida consumirei mais alguns. Ser humano egoísta pensa primeiro na própria vida. Ou na vida de pessoas queridas. Sou tão egoísta que, se precisasse escolher entre minha saúde e a saúde do meu gato (e o amo!), escolheria a minha. Acho que só não escolheria a minha em detrimento da de um filho... mas ainda não tenho filhos e, por enquanto, nunca pretendi tê-los.

Eu gostaria que não houvesse maus tratos a animais ou testes de laboratório com animais. Assim como também gostaria que a construção de uma represa, para a geração da eletricidade que consumo, não influísse no clima e não causasse prejuízo à biodiversidade. Não gosto de saber que a construção de uma estrada, por exemplo, impacta os ecossistemas por onde passa. Ou que a construção da capital, ao interiorizar o centro-oeste, ajudou a acabar com o cerrado. Devo mudar de cidade? Deixar de usar eletricidade? Nunca mais andar de carro ou ônibus?

Ademais, sou incapaz de citar um único produto de consumo humano que, em algum momento da cadeia de produção, não ocasione prejuízo, ainda que indireto, a alguma outra espécie animal. Fim.

Atenciosamente,
Um ser humano egoísta. Daquele que defende, sim, os direitos dos animais. Mas para o qual os direitos humanos vêm primeiro. Ser humano sincero, porém.

P.S.: resgatar beagles fofinhos também é jogar dinheiro público no lixo, viu? Leia AQUI. E se ficar chateado(a) com minha carta, por gentileza leia minha divagação passada AQUI.





Para quem quiser se informar: