Páginas

7 de jan de 2014

gatices

Era uma vez um gato. Já idoso, quase completando 14 anos de vida. Passava seus dias dormindo, comendo e cagando. Basicamente isso. E pedindo água e comida se era esquecido; carinho se era ignorado. De repente, bastava um inseto qualquer entrar em casa que o bichano ficava ágil novamente, ligadaço como se tivesse tomado alguma anfetamina.

Hoje foi uma barata imensa, daquelas assustadoras que não tenho nem coragem de chegar perto. Não sei se voava, afinal a dona baratinha não teve muito tempo de mostrar suas capacidades. O gato, aquele velho que só dorme, come e caga, imediatamente vai atrás e caça qualquer bichinho (desde que se mexa) que adentre nossa residência. Dona baratinha virou brinquedo de chutar para lá e para cá, foi mordida algumas vezes e virou um cadáver.

Esse é o roteiro com baratas, cigarras, besouros... já aconteceu até com escorpião. Subitamente, o gato velho preguiçoso vira um exímio caçador. Não há inseticida melhor e mais ecologicamente correto do que o felino. Para uma pessoa insetofóbica (eu!), é útil tê-lo como roomate. Ele se ocupa do problema e fim.

Fim? Depende. Algumas vezes, quando o morto não vira comida, ganho um presente. O corpo de dona baratinha (assim como tantos outros corpos, anteriormente) foi deixado em cima de minha cama. Já tentei conversar e explicar para o bichano que não quero esse tipo de presente... Adianta?

Hoje cedo tínhamos um gato em cima de minha cama, fazendo gatices. Miau, miau, miau! Miando para chamar minha atenção, enquanto olhava para o cadáver e fazia gestos, com a cabeça e as patinhas dianteiras, como se me pedisse para pegar o corpo de dona baratinha. Brigar com o felino porque ele fez de novo? Adianta?...


Melhor fazer um carinho no bichano, trocar roupa de cama e pronto. Esperar pelo próximo presentinho e agradecer que alguém, nesta casa, mata baratas (ou cigarras, besouros...). Sou uma covarde, daquelas que, na presença de uma cigarrinha qualquer, tem taquicardia e paralisia. Deixa o gato preguiçoso fazer o serviço sujo né...