Páginas

14 de abr de 2014

militontos

Lamento pelos políticos e pelos militantes sérios – sejam de que partido for, direita, esquerda, centro, arriba, abajo... Alguns (aqueles que não devem ser zoados e com os quais não se deve discutir) devem sofrer de doença, demência... e chegam a dar inveja a qualquer fundamentalista religioso. Uma interessante mistura patológica de alienação com fundamentalismo, tangenciada por miopia e astigmatismo.

Ia colocar fundamentalista islâmico no parágrafo anterior, mas lembrei que o fundamentalismo não é exclusivo de nenhuma religião. Assim como a demência partidária não é exclusiva de nenhuma direção – coxinhas, reaças, esquerdopatas, petralhas... tanto faz: há dementes e sãos em todas as direções.

Discordo de usarem o nome de um salgado tão gostoso como xingamento, mas tudo bem, não é este o assunto. Com coxinhas ou sem coxinhas, recheadas com catupiry ou não, fato é que o erro de um pássaro não é argumento para o erro de um vermelho. Alianças estapafúrdias de um governante não são argumentos para alianças esdrúxulas de outro.

Mensalão de uns não apaga mensalão de outros. Sujeira de uns não elimina e tampouco justifica a sujeira de outros. A Veja ser tendenciosa e parcial não torna a Carta Capital imparcial e objetiva. A corrupção de uns não justifica a corrupção de outros. O preconceito de uns não é desculpa para o preconceito de outros. A desonestidade alheia não te faz menos desonesto.


Cansada de pombos, apenas.