Páginas

30 de mai de 2014

o zumbi reincidente

Ele resiste a tiros, fogo, decepamento. Passam-se anos, criam-se distâncias, colocam-se até oceanos no meio... adianta? O zumbi reincidente sempre levanta do túmulo para perturbar de alguma forma. Usar a psicologia infantil e ignorar não funciona, mandar se fuder tampouco. Em algum momento, a volta dos mortos vivos acontece sem ter sido requisitada.

Quem são esses zumbis? O que os motiva? De onde vem e para onde vão? Do que se alimentam? Como escolhem suas vítimas? Como ficar imune aos seus ataques? Que arma funciona contra eles? Perguntas... algum médium se dispõe a receber Freud para que ele possa tentar respondê-las?

É cada coisa que olha... Estou quase pedindo para ser internada em um hospício, já que o mundo pirou e lá dentro pelo menos os loucos estão medicados. Um dos ataques zumbis mais recentes foi recebido por essa maravilha chamada internet. Duas linhas, apenas.

“Estou com um menino Lindo da Suécia, toda vez que beijo vejo você. Não tem como vc esta em cada toque”

Oi? Qual é o problema dessa pessoa? Qual a sua fantasia mórbida? A quem tenta convencer com isso? Até hoje tentando se enganar sobre a própria sexualidade? Já não passou da idade da negação não? Acha que isso excita alguém, além dele mesmo? Amiguinho, viva plenamente sua sexualidade sem precisar da aprovação alheia e sem precisar justificar nada. Principalmente, sem encher o saco que nem tenho, já que nada tenho a ver com isso.

No cenozoico, tive um relacionamento com esse morto vivo – e espero que ele finalmente pare de tentar se encaixar em um padrãozinho heteronormativo que, obviamente, não é para ele. Seja feliz e me esqueça! Sobretudo, pare de tentar preencher as expectativas alheias quanto a uma sexualidade que não é a sua – a única pessoa que você deixa de agradar fazendo isso é a si mesmo. 






NOTA: Achei estranho o ataque zumbi, afinal posso não ser a menina boazinha delicadinha estilo Sandy, mas estou à milhas de distância de ser, digamos, masculina. Um homem o faz lembrar de mim? Oi? Investigações posteriores sobre o assunto apontaram, entre outras coisas, que o menino lindo da Suécia é, na verdade, uma travesti. Uma loira linda. Então, coleguinha zumbi, pare de se referir a ela como “o menino”. Quer continuar negando a si mesmo? Ok, mas não negue a identidade alheia.